Açúcar ou adoçante?Você sabe fazer a escolha certa na hora de preparar uma receita doce ou adoçar o seu cafézinho? Na sua opinião, qual é o melhor para a saúde: açúcar ou adoçante?

Nós também tínhamos essa dúvida, por isso pesquisamos muito e fomos atrás de respostas para trazer à você uma lista com os 15 melhores e piores açúcares e adoçantes do mercado.

Com tantas opções disponíveis para adoçar, na hora da compra é preciso ficar atento para não levar nenhum “veneno” para casa.

Qual é o melhor para a saúde: açúcar ou adoçante?

Isso vai depender da escolha que você faz, pois existem diversas formas de açúcares e também de adoçantes.

A seguir você vai conferir um ranking com os melhores e piores açúcares e adoçantes do mercado, com os prós e contras de cada opção.

Açúcar ou adoçante? Confira nosso TOP 15

Opções Saudáveis

1 – Mel Cru

O mel é um alimento natural produzido pelas abelhas operárias, que coletam o néctar das flores e o levam até a colmeia.

A sua composição pode variar, dependo da espécie da abelha, e principalmente o néctar da florada. Os méis de cor clara possuem aroma e sabor mais suave, e os de coloração mais escura são mais nutritivos.

Ele é benéfico à saúde por conter centenas de vitaminas, minerais, aminoácidos, ácidos graxos orgânicos e antioxidantes.

O mel alivia dores de garganta, trata problemas respiratórios, é bom para à saúde intestinal (alimenta as bactérias benéficas), cuida da saúde da pele, evita o envelhecimento precoce, alivia os efeitos do estresse e trata infecções urinárias.

Fique atento: ele não pode ser aquecido, pois em contato com o calor ele perde os seus nutrientes. O mel que você normalmente encontra nos mercados e lojas é processado e aquecido, tornando-se maléfico à saúde.

Adoçante Natural Stevia
Açúcar ou adoçante? – Dentre os adoçantes, a stevia é a melhor opção para a saúde.

2 – Stevia

Stevia ou Esteviosídeo como também é conhecida, é extraída da Stevia Rebaudian, uma planta nativa da América do Sul.

Os índios, em particular no Paraguai, utilizam a stevia há mais de dois mil anos em sua alimentação.

Ela é um adoçante natural, com praticamente zero calorias e com um sabor que chega a ser 300 vezes mais doce do que a sacarose (açúcar).

A stevia possui ótima estabilidade a baixas e altas temperaturas, podendo ser levada ao congelador ou ao fogo. Falando de adoçantes, essa é a opção mais saudável.

Os benefícios e os malefícios da stevia à saúde vão depender do seu processo de fabricação. Em seu estado natural, a planta é benéfica a saúde, pois têm compostos anti-inflamatórios, previne problemas de coração, cáries, diabetes e obesidade.

Fique atento: algumas marcas adicionam sacarina e outros adoçantes artificiais no processo de fabricação, tornando a stevia prejudicial à saúde. Sempre leia os ingredientes presentes no verso da embalagem. 

3 – Açúcar de Coco

O açúcar de coco é produzido a partir da seiva que escorre de cachos de flores do coqueiro.

Sua fabricação é feita sem a adição de conservantes ou aditivos químicos, e não passa por nenhum refinamento ou processamento, diferente dos outros açúcares.

O açúcar de coco é rico em vitaminas, minerais e eletrólitos, além de possuir um índice glicêmico muito mais baixo do que o açúcar convencional, não gerando picos de insulina.

É uma ótima opção para substituir o açúcar branco, principalmente se você gosta de fazer receitas doces. O gosto deles é bem parecido e você pode utilizar a mesma quantidade de açúcar da receita original.

Fique atento: Por melhor que seja, o açúcar de coco continua sendo um açúcar, por isso ele deve ser consumido com moderação. Sempre dê preferência para açúcares orgânicos, livres de ingredientes artificiais e substâncias tóxicas. 

Opções para Consumir com Moderação

4 – Açúcar Mascavo

O açúcar mascavo apresenta um tom de caramelo e seu aroma é mais forte. Sua fabricação é feita sem que passe por processos de refinamento e descoloração.

Como ele é extraído logo após o cozimento da cana-de-açúcar, a maior parte das suas características nutricionais permanecem intactas.

Muitas pessoas não são acostumadas com o gosto marcante do açúcar mascavo, já que ele lembra o sabor do caldo de cana.

Fique atento: Apesar de ser mais nutritivo do que o açúcar convencional, seu índice glicêmico também é alto, gerando picos de insulina que podem levar a diabetes. Em razão disso, seu consumo deve ser controlado. 

5 – Açúcar Demerara

O demerara, conhecido por ser uma das formas mais caras de açúcares extraídos da cana, geralmente é utilizado em receitas de doces sofisticados.

No processo de fabricação, passa por um leve refinamento e não recebe nenhum aditivo químico que prejudique seus nutrientes. Por isso, seus grãos permanecem em um tom marrom claro, com maior valor nutricional, semelhante ao do açúcar mascavo.

Fique atento: o demerara possui os mesmos problemas que o açúcar mascavo, porém ele ainda passa por mais processos de refinamento. Prefira o açúcar de coco ao invés do demerara. 

6 – Sorbitol / Manitol

São adoçantes obtidos pela redução da glicose e da frutose, 45 % mais doces do que o açúcar (sacarose).

O manitol é encontrado em vegetais, cogumelos e algas marinhas, e se mantem estável mesmo em altas temperaturas. É utilizado na indústria farmacêutica na produção de diuréticos.

O sorbitol é encontrado em frutas e algas marinhas, e é muito utilizado na fabricação de biscoitos, chocolates, gomas de mascar e refrigerantes. Além disso, está na composição da maioria das pastas de dente, pois previne a carie e melhora o sabor do produto.

Fique atento: eles podem causar alergias e em excesso podem ter efeito laxativo. Pessoas com problemas intestinais não toleram muito bem esses adoçantes.

Opções que Devem ser Evitadas

7 – Açúcar Cristal

Esse açúcar contém cristais grandes e transparentes, difíceis de serem dissolvidos em água.

No processo de fabricação, após o cozimento, ele passa por diversas etapas de refinamento, onde perde 90% das suas vitaminas e sais minerais.

Geralmente esse tipo de açúcar é utilizado em receitas de bolos e doces, por ser econômico e render mais que os outros tipos de açúcares.

Diversas pesquisas científicas vêm ligando os açúcares brancos a problemas como o diabetes, inflamação, problemas dentários, além dele servir de alimento para as bactérias ruins do intestino, causando diversos problemas no seu organismo.

Fique atento: a regra é simples, quanto mais escuro é o açúcar, mais vitaminas e sais minerais ele contém, e quanto mais claro, pior. Para ficar com o aspecto clarinho, o açúcar passa por diversos refinamentos, onde recebe tratamentos químicos e aditivos. 

Açúcar Refinado
Açúcar ou adoçante? – Os açúcares refinados devem ser evitados.

8 – Açúcar Refinado

Também conhecido como açúcar branco ou de mesa, é um dos tipos mais prejudicial à saúde, e também o mais consumido pelos brasileiros (infelizmente). Esse tipo de açúcar é obtido a partir da diluição do açúcar cristal.

Em seu processo de fabricação o açúcar branco passa por diversas etapas, uma delas é o refinamento onde aditivos químicos, como o enxofre, são adicionados para dar a coloração branca ao produto.

O ruim é que ao passar pelo refinamento, vitaminas e sais minerais essências são extraídos, deixando-o sem nutrientes. A parte mais fina desse açúcar é separada para a produção do açúcar confeiteiro.

Fique atento: quando você está doente é melhor ficar longe dos açúcares, principalmente do refinado e do confeiteiro, pois eles enfraquecem o sistema imune e alimentam diversas doenças, como o câncer, que se fortalece com a glicose em excesso no organismo.

9 – Açúcar de Confeiteiro

O açúcar de confeiteiro contém cristais extremamente finos, que permitem uma mistura mais eficaz no preparo de alimentos, mesmo quando frio.

Sua fabricação passa por um processo ainda maior de refinamento, que inclui peneiramento para obter os micros cristais, com a adição de amido de arroz, milho ou fosfato de cálcio para que os micros cristais não juntem novamente.

Esse tipo de açúcar é geralmente utilizado em inúmeras receitas doces, como glacês, cremes ou coberturas.

Fique atento: Ele é considerado um açúcar extremamente pobre em nutrientes, e uma péssima escolha em termos de saúde, pois é obtido a partir do processo da diluição do açúcar refinado. 

Opções Tóxicas

10 – Xarope de Agave

O agave, xarope de agave ou néctar de agave como também é conhecido, é extraído a partir da espécie Agavaceae, originada do México. Sua coloração é amarela clara, com textura semelhante a do mel.

O agave em sua forma natural possui diversos compostos benéficos à saúde, entre eles o frutano, que melhora o funcionamento do intestino através do seu efeito prebiótico.

Além disso, o agave diminui os níveis de triglicerídeos, colesterol, e possui efeito anti-inflamatório e antioxidante.

Diversas pessoas consomem o agave pelo seu baixo índice glicêmico (não gera picos de insulina), no entanto o índice glicêmico é um só um fator em meio aos seus colaterais.

Ao passar pelo processo de fabricação e refinamento, o agave perde seus nutrientes e se torna um adoçante de frutose altamente refinado e concentrado.

Você pensa que por ser uma substância natural a frutose é saudável? Muito pelo contrário, a frutose é um dos piores tipos de adoçante.

O único órgão do corpo capaz de metalizar a frutose é o fígado. A frutose é então transformada em gordura no fígado, podendo causar cirrose hepática não alcoólica, diabetes, síndrome metabólica, obesidade, além de inflamação e danos por radicais livres.

Fique atento: outro grande problema são as marcas de agave, que acrescentam xarope de milho e outros adoçantes artificiais a composição para terem maiores lucros.

Um caso assim aconteceu recentemente, em que a FDA fechou a maior produtora de agave dos EUA, por adulterar o produto adicionado outras substâncias.

11 – Xarope de Milho com alto teor de Frutose

A frutose é um edulcorante natural, extraída das frutas, como o agave ou também do milho.

Assim como o agave, nenhuma célula do corpo é capaz de metabolizar a frutose presente no xarope de milho, apenas o fígado.

Para você compreender, do ponto de vista funcional, quando você ingere xarope de milho ou agave, não está consumindo um carboidrato, mas sim uma gordura ruim, que prejudica diversas funções do organismo.

O xarope de milho interfere no metabolismo, fazendo com que a leptina seja reduzida no organismo. A leptina é um hormônio essencial ao corpo, que informa se você deve parar de comer ou não.

Por esse motivo o xarope de milho está associado à obesidade em vários países, além de ser considerado uma substância altamente viciante.

Seu consumo frequente pode causar hipertensão, síndrome metabólica, diabetes tipo2, aumento do ácido úrico e colesterol ruim e o enfraquecimento do sistema imunológico.

Além disso, o xarope de milho é feito de milho transgênico, tratado com altas doses de glifosato, um pesticida cancerígeno.

Fique atento: o xarope de milho está sendo adicionado a praticamente todos os produtos industrializados, principalmente refrigerantes e sucos.

Mas você sabe por quê? Ele é o tipo de adoçante mais barato de fabricar e um dos que mais rende, por ser muito doce. 

12 – Sacarina

A sacarina é o adoçante mais antigo do mundo, descoberta por acaso pelo químico Ira Remsen em 1879.

Ela é uma substância artificial derivada do petróleo, que não é metabolizada pelo organismo e não contém calorias.

Entretanto possui alta quantidade de sódio em sua composição, e deve ser evitada por hipertensos.

A FDA dos Estados Unidos tentou bani-la em 1977, afirmando que a sacarina induzia cancro na bexiga, porém continuou no mercado pela pressão das indústrias alimentícias.

Até o final da década de 90, a sacarina era vendida com uma advertência sobre seu potencial cancerígeno.

Vários estudos demostram que a sua composição química não é compatível com o sistema digestivo, e não é completamente metabolizada pelo organismo.

Algumas pessoas sofrem com problemas gastrointestinais após sua utilização, como diarreia, edema ou agitação ao ingerir essa substância.

Fique atento: a sacarina é proibida no Canadá por conta das pesquisas que demonstraram seu potencial cancerígeno. Por que arriscar? 

13 – Sucralose

Sempre foi vendida como um adoçante saudável, pois não contém calorias e é derivada de um produto “natural”, o açúcar.

Na verdade, a sucralose é um adoçante artificial químico, cheio de efeitos colaterais e resistente a biodegradação.

Ela é fabricada a partir de um processo que altera a molécula da sacarose, obtendo um produto artificial, 600 vezes mais doce do que o açúcar.

Mas você sabe por que um adoçante derivado do açúcar não tem calorias? Porque no seu processo de fabricação é adicionado o cloro, uma substância potencialmente tóxica que altera a molécula da sacarose de maneira que não seja metabolizada pelo organismo.

Os seus colaterais ainda estão em estudos, mas o que sabemos por enquanto é que a sucralose não é totalmente eliminada do organismo, tornando as células do corpo tóxicas devido ao acúmulo de cloro.

Além disso, a sucralose altera a flora intestinal ao destruir as bactérias benéficas, responsáveis pela manutenção do sistema imunológico.

Diversas pessoas relataram os seguintes efeitos colaterais ao consumir a sucralose por períodos prolongados: enxaquecas, tontura, cólicas intestinais, acne, dores de cabeça, inchaço, dor no peito e zumbido.

Fique atento: a sucralose é o adoçante mais utilizado no mundo e está presente em diversos alimentos industrializados.

14 – Acessulfame-K        

O acessulfame-k, também é conhecido como acessulfame de potássio ou ace-k, é um adoçante artificial sem calorias, aproximadamente 200 vezes mais doce do que o açúcar.

O grande problema do acessulfame-k é a presença do diclorometano em sua composição, um químico nocivo, conhecido por seu potencial cancerígeno e efeito narcótico.

A exposição a longo prazo ao diclorometano pode causar problemas renais e hepáticos, náusea, alterações de humor, câncer, e problemas visuais.

Fique atento: o acessulfame-k geralmente é utilizado em mistura com outros adoçantes, como o aspartame e a sucralose, em diversos produtos industrializados, como gomas de mascar, bebidas alcoólicas, doces e iogurtes.

Açúcar ou adoçante? – O aspartame está presente em vários dos adoçantes mais vendidos no Brasil, e também em diversas bebidas ligth e zero.

15 – Aspartame

O Aspartame está presente em diversas marcas famosas, como o zero cal, gold e finn, além de alimentos e refrigerantes diet e light.

O livro Perscription for Nutritional Healing de Jeames e Phylllis descreve o aspartame como “veneno químico”. Isto é exatamente o que ele é.

Em 1974 a FDA (departamento de drogas e alimentos dos Estados Unidos) aprovou o consumo da substância em alimentos e bebidas. Porém, em 1988 o aspartame respondia a mais de 80% das reclamações feitas ao FDA sobre aditivos alimentes.

Entre os mais de 90 sintomas diferentes documentados sobre aspartame estão:

  • Dores de cabeça;
  • Vertigem;
  • Dormência;
  • Espasmos musculares;
  • Ganho de peso;
  • Erupções cutâneas;
  • Fadiga;
  • Depressão;
  • Irritabilidade;
  • Taquicardia;
  • Insônia;
  • Problemas visuais;
  • Perda auditiva;
  • Falta de ar;
  • Ansiedade;
  • Zumbido;
  • Perda de memória;
  • Dor articular;
  • Lesões no fígado;
  • Agressividade;

De acordo com os estudos médicos, as seguintes enfermidades crônicas podem ser ativadas ou pioradas com a ingestão do aspartame:

  • Tumores cerebrais;
  • Esclerose múltipla;
  • Epilepsia;
  • Síndrome da fadiga crônica;
  • Doença de Parkinson;
  • Alzheimer;
  • Retardo mental;
  • Linfoma;
  • Problemas no feto (mulheres gravidas);
  • Fibromialgia;

Fique atento: o aspartame é uma das substâncias alimentícias mais perigosas do mercado. Os maiores especialistas afirmam que ingerir aspartame é como ingerir inseticida, já que seus metabolitos do sangue se transformam nas mesmas substâncias.

 

Viver de maneira saudável não significa que você deve excluir todo o açúcar ou adoçante da sua dieta.

Faça escolhas saudáveis, substitua açúcares refinados e os adoçantes artificiais por opções que não prejudicam a sua saúde. Você vai continuar podendo comer aquele docinho que você tanto ama, agora sem culpa.

Açúcar ou adoçante? Aposto que agora ficou muito mais fácil fazer a escolha certa para adoçar o seu cafezinho.

Espero que esse artigo tenha gostado do nosso artigo

Ficou com alguma dúvida? Deixe seu comentário ou sugestão.

Não esqueça de curtir nossa página no Facebook para acompanhar mais conteúdos como esse.

Fontes:
Livro – Uma Maça por Dia
Dr Axe
Bulletproof
Sugar Substitutes
Sugar Alternatives